CIDADE MORTA
 

Almas solitárias caminham pelas ruas estreitas e escuras.

Sua dor ecoa pelas vielas como sussurros amedrontadores.

 

Uma névoa gélida parece desenhar figuras de corpos e rostos deformados.

 

As casas abandonadas viraram refúgio do mal, do desconhecido, daquele que provoca ira, raiva e muita dor.

 

Não havia mais ninguém morando naquela cidade. Todos, assustados com os constantes bater e fechar de portas, copos quebrando, janelas abrindo, cortinas sendo arrancadas, do nada, desistiram de viver naquele lugar.

 

Os antigos moradores sentiam o cheiro de enxofre no ar e o cenário era amedrontador. Casas quase que desmoronando de tão velhas, cheias de rachaduras, a terra árida, tudo parecia seco, sem vida...

 

Virou notícia nos principais jornais: quem lá ia, não queria mais voltar, muitos ficavam doentes, outros cometiam suicídio. Até que, certo dia, um homem resolveu lá se instalar. Seu apelido era Cowboy, o Destemido.

 

Tomou posse de uma casa, arrumou os pés de uma velha cadeira de balanço e ficou na varanda sentado, fumando um charuto e esperando a hora morta chegar e as almas aparecerem.

Colocou uma câmera para filmar tudo. O problema é que ninguém tinha coragem de ir até lá para saber o que de fato aconteceu, e passaram-se alguns anos. Até que, um dia, foi noticiado que a Cidade Morta virou um parque de diversões de terror.

Não é que o Cowboy conseguiu domar as almas e ainda fazê-las trabalhar para ele? O melhor do negócio é que ele não tinha de  pagar um centavo pelo serviço prestado. O Destemido nunca mais foi esquecido...

Moral da história: nem tudo é tão ruim como parece ser!


Você começa a caminhar e pensa que já sabe aonde vai dar, de repente tudo muda e não é mais o que esperava que fosse. Como esse conto, que parecia de terror, mas acabou virando comédia. Tudo depende do ponto de vista, de que forma você vai resolver a situação: lamentar-se, desistir ou virar a mesa ao estilo Cowboy Destemido!

Copyright © 2011 - Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

LIVROS DA AUTORA

​SIGA-ME

  • Facebook Classic
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter Classic
  • c-youtube

© 2018 Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro