INSIGNIFICANTE VIVER

 

Por desertos caminhos percorro
Solidão afaga minha pele
Em seu abraço, entrego-me
Cansada, finco os meus pés...
 
Inércia
 
A escuridão inebria-me
Dia após dia, consome-me
Sigo, silenciosamente, minha sina
Não há mais rotas
 
Traços apagados
 
Perdida dentro de mim
Despeço-me
Desfaço-me


Insignificante viver


Copyright © 2018 - Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

LIVROS DA AUTORA

​SIGA-ME

  • Facebook Classic
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter Classic
  • c-youtube

© 2018 Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro